quinta-feira, 26 de julho de 2007

Governo Arruda após sete meses

Antes de escrever esta coluna, eu visitei o site do Metrô do Distrito Federal (no óbvio endereço http://www.metro.df.gov.br, a fim de confirmar a informação que eu recebera há algum tempo: que, a partir do dia 04 de agosto - um sábado - o Metrô funcionaria também nos finais de semana, no horário das 07 às 19 horas. Uma expansão de horário já demandada pelos brasilienses desde a inauguração comercial do Metrô, em 2001.

Dessa forma, vou aproveitar o gancho do novo horário para fazer um comentário geral sobre os primeiros sete meses do governo de José Roberto Arruda. Antes de mais nada, quero deixar claro que este é um blog apolítico, e que não pretendo fazer campanha a favor ou contra o governador, mas analisar friamente sua atuação.

Para chegar ao Buriti, Arruda conseguiu uma das mais impressionantes recuperações políticas da história. Ocupando o cargo de Senador, ele renunciou após ser acusado de envolvimento na violação do painel do Senado. Para retornar ao cenário político, adotou um discurso humilde: reconheceu o erro, e pediu uma nova chance ao eleitor de Brasília. Foi atendido. Candidato a deputado federal em 2002, elegeu-se com a impressionante marca de 25% dos votos - não sei se existe algum precedente semelhante na história do país.

Tendo feito um mandato de oposição ao governo Lula, Arruda não se envolveu em novos escândalos, e a nova imagem, associada à expressiva votação, o credenciaram a concorrer ao governo do Distrito Federal. Teve que enfrentar a petista Arlete Sampaio e a tucana Maria Abadia, então governadora - assumira o cargo após a renúncia de Joaquim Roriz, e recebera apoio deste nas eleições. Arruda não tomou conhecimento das adversárias: ganhou a eleição no primeiro turno.

Arruda mostrou muita coragem nos seus primeiros dias de governo. Sua primeira medida foi reduzir o número de secretarias e de cargos comissionados na estrutura do Poder Executivo. Uma medida popular, porém já clamada pela sociedade há anos. Pouco depois de tomar posse, ele ainda providenciou a demolição de vários esqueletos de obras paradas e/ou irregulares, que, além de tudo, enfeiavam a paisagem brasiliense. Outros governos não tiveram tal atitude.

Mas, é claro, seu governo vem encontrando desafios. Os transportes constituem o principal deles. As vans que circulavam irregularmente pelo Distrito Federal foram retiradas de circulação. Outra medida impopular, ainda que o governador tenha agido no estrito cumprimento da lei. Embora a retirada das vans tenha poupado os brasilienses de um meio de transporte nem sempre seguro, geraram um problema de escassez de meios de transportes e de superlotação dos ônibus existentes. E nisso reside o grande desafio do governo: substituir adequada e legalmente as vans retiradas de circulação.

Ainda na área dos transportes, é de se elogiar a atuação do governo com relação ao Metrô - e aí entra o gancho que eu coloquei no início deste texto. Desde os tempos de operação experimental que o Metrô funcionava no mesmo inadequado horário: de segunda a sexta-feira, das 06 às 20 horas. Quem estudava até tarde nos dias de semana ou tinha algum compromisso nos finais de semana ficava na mão. A primeira medida tomada foi estender o horário nos dias de semana até às 23h30, possibilitando o atendimento aos trabalhadores e estudantes do terceiro turno. E agora os trens passarão a atender também nos finais de semana, das 07 às 19 horas. Uma opção a mais para trabalhadores, estudantes, pessoas que querem visitar parentes e até para torcedores, já que há estações próximas aos dois principais estádios do DF, o Mané Garrincha e o Serejão. Mencione-se ainda o início da operação comercial da Ceilândia e a retomada das obras em futuras estações daquela cidade, além da estação 108 sul.

Finalmente, o governador Arruda terá os tradicionais desafios que todo o governo, em qualquer lugar do Brasil, encontra: tirar a educação e a saúde da caótica situação em que se encontram. Talvez seja realmente esse o maior desafio, e certamente será impossível fazer milagres. O importante é dar um mínimo de condições dignas aos usuários desses serviços públicos.

A primeira análise, de um modo geral, é positiva. Um governo com qualidades e defeitos, como qualquer outro, mas principalmente sem medo de tomar medidas benéficas à população. Veremos o que vou dizer nos próximos meses e anos.

2 comentários:

luciano disse...

O Balanço analisado dessa forma ate parece bom. Mais o governo tem sede por grana e esta vendendo todos os terrenos que existe para arrecadar. Acaba com os hotéis e pousadas da asa norte e sul, e o vice governador tem alguns hotéis para suprir a demanda. Acaba com feira na Ceilandia e o vice novamente é dono do terreno das feiras. Transfere a sede do governo pra Taguatinga onde o vice ira construir, será que ira valorizar? Acaba com as vans, que bom se preocupa com a população, e faz um licitação viciada, que ja foi derrubada pelo STJ em sede de mandado de segunraça. Pergunto a todos. Sindico e associações tem dinheiro para participar de licitação de vans, ela possuem fiz lucrativos? Bem em nosso governo sim. Nosso vice governador derrubou o esqueleto do shopping do lago norte ufa que bom. Quem sera que ira construir o novo shopping, eita nosso vice governador de novo? Que legal. E nosso setor noroeste? Eita novo vice governador ja esta com uns tapumes la tambem, ele de novo, nosso esse vice governador faz muito por brasilia vc nao acham? Todas as melhores obras, não se sabe como so ele faz. Os índios moram a muito tempo no terreno do provável noroeste e seriam retirados, por bem ou por mal a justiça goste ou nao.
Mais pense bem iremos ter moradias populares no noroeste segundo nosso governador arruda e o vice Paulinho Otavio, 6mil metro quadrado apartamentos a partir de 600 mil reais quer mais popular que isso, ele se preocupa com os pobres vcs duvidam? ja foram no aras do governado? E voltando ao lago norte quer lotear a ja pequena area comercial com Centenas de apartamentos, viva, viva, ira colocar uma ponte ligando L4 ao lago norte na altura da 10 otima ideia, vamos calcular os números. População do lago norte 30 mil. Numero de pessoas circulando no shopping do lago norte iguatemi media de 30 mil por dia. fluxo da ponte que sera construída, pessoas que morem, no varjão, Paranoá, colorado e seus condomínios,sobradinho e seus condomínios e outros. uma media ai otimista de umas 100 mil pessoas dia circulando dentro de duas faixa nas pistas do lago norte, acredito que so tenho a comemorar o nosso governador e vice,e por ultimo atendendo aos caprichos do nosso Alberto Fraga, ele ira comandar a obra da ponte esse foi o acordo para que ele nao fosse embora, chorou e mamou legal ou melhor ira mamar ne ou ja esta mamando? Secretarias de transportes fazendo obras so no DF.

Raul Martins Dias disse...

Muito lúcida a sua análise, Luciano. Infelizmente hoje em dia são esses motores que impulsionam a política, não é necessariamente o bem do povo que está em jogo. Procurei analisar o lado positivo do governo Arruda, mas claro que há muito por fazer, e que Arruda tem seus defeitos também.